Receba nosso Informativo
Nome:
E-mail:
Login de Sócio
Usuário:
Senha:
O wonderland do fotógrafo Nadav Bagim

Recebi um informativo e entre as notícias havia a apresentação de um fotógrafo que faz macro fotografias que chamou minha atenção pela beleza das cores e composição. Procurei mais informações sobre o autor e descobri que é um jovem Israelense autodidata que consegue captar imagens belíssimas de insetos.

Sendo um jovem sem formação profissional, resolvi apresenta-lo em uma pequena entrevista para motivar outros fotógrafos a seguir seu exemplo. Confira nosso papo e alguns de seus registros.

1. Fale quem é o fotografo Nadav Bagim.

Tenho 30 anos, moro em Israel e sou estudante universitário de Neurociência. Vivo com meu noivo e nossos três gatos. Ensino fotografia e trabalho como fotógrafo freelance. Não tenho formação formal em fotografia, sou um autodidata que aprendeu a fotografar com esforço próprio, ajuda da internet, curiosidade e tentativa e erro. Eu sempre tento aprender mais e expandir meus limites.



2. Quando começou a se interessar por macro fotografias? E por que com insetos?

Há três anos eu recebi um presente, uma câmera compacta. Rapidamente conheci o gênero macro e tentei fotografa-lo também. Eu queria obter melhores resultados então comprei uma DSLR Canon EOS 450D e uma lente macro de 100mm. Eu adoro fotografar em macro porque é tudo que nos rodeia. Você não precisa ir muito longe para ver outro mundo ou paisagens misteriosas. Onde quer que esteja você pode vê-los e, melhor ainda, pode criá-los. Gosto de fotografar insetos porque são os modelos do mundo em miniatura, desde a infância eu era interessado na natureza, e os insetos podem ser encontrados em toda parte. É interessante ver como são formados, como eles olham quando ampliados, como se comportam e dar-lhes carater humano.

3. Onde são feitas as suas fotografias? Tem alguma foto do making off das suas fotografias?

Minhas fotos macros estão divididas em dentro e fora de casa.

Ao ar livre, geralmente fotografo com luz natural e em qualquer lugar, na rua, em jardins públicos ou florestas.

Fotos em ambientes fechados são feitas em minha casa, na janela ou na mesa de cozinha perto dela, com iluminação artificial. Tenho todo tipo de planta na minha janela e as pulverizo com água com açúcar. Isso atrai insetos e quando eles vêm eu os fotografo.



4. Usa Photoshop para cores ou os efeitos?

Eu não uso Photoshop para cores ou efeitos, eles são reais. Às vezes uso edições básicas como brilho/contraste, correção do balanço de branco, redução de ruído e corte. Mas não há nenhuma mudança no conteúdo da foto. Não são montagens, as cores são reais, a “neve” é real e por isso são insetos, paisagens e o resto. Isso leva muito tempo, esforço e cliques para sincronizar todos os elementos em um instante, mas a satisfação que se tem quando tudo funciona vale a pena.

5. Qual é a sua lente favorita?

Minha lente favorita é uma Canon 2.8 100mm Macro. É uma lente macro grande, muito rápida, forte e dá bokeh [1] incrível. Eu fotografo pássaros com ela.



6. Tenho preferencia por luz e sombras e percebi que você abusa disso em suas fotografias. Qual a sensação de fotografar usando essa técnica?

Eu também gosto de fotografar desta forma. Geralmente dá uma sensação mais minimalista, deixa mais à imaginação e permite ao espectador desenvolver os detalhes escondidos e história por conta própria.

7. Se fosse contratar um fotógrafo para fazer macro fotografia de insetos, o que ele precisaria conhecer para ser admitido?

Um bom fotógrafo deve ter conhecimento, controle técnico, uma mente aberta e criativa e, acima de tudo, muita curiosidade.

Mas, enquanto ele tem curiosidade, mente aberta e criatividade, ele poderia aprender o conhecimento e técnica ao mesmo tempo.

Senso de humor também é importante!



8. Gostaria de dizer alguma coisa para as pessoas que lerem essa entrevista?

Tente o seu melhor para explorar por conta própria. Olhe ao redor em busca de inspiração, mas também tente coisas novas por si mesmo. Faça experiências e tente expandir seu ponto de vista. "Tentativa e erro" é comum mas ainda há tantas pessoas com medo ou que evitam tentar. Algumas pessoas esperam uma foto criativa para dar o primeiro clique. Bem, não é assim que funciona. Toda boa foto tem um monte de antecessoras insatisfatórias que melhoram de quadro a quadro. Por isso programe-se de vez em quando um conjunto de experimentos, de modo que você se sinta mais livre para tentar novas abordagens e técnicas.

Uma última coisa. Cuide bem dos insetos e faça o seu melhor para não prejudicá-los enquanto os fotografa.

Obrigado por ler a entrevista!

Best wishes,
Nadav
www.AimishBoy.com

Por Ivy Freitas
Respostas originalmente em inglês. Tradução livre.

[1]NT Bokeh (do Japonês boke, "blur") é um termo usado na Fotografia referente às áreas fora de foco e distorcidas, produzidas por lentes fotográficas. Diferentes bokehs de lentes produzem efeitos estéticos separados em fundos desfocados, os quais são frequentemente utilizados para reduzir distrações e enfatizar o assunto primário.





Próximos Cursos
  • Nenhum curso agendado no momento.
Associe-se FCSV é uma associação sem fins lucrativos que visa agrupar fotógrafos amadores e profissionais em torno de discussões teóricas, saídas fotográficas práticas e procuramos oferecer meios de melhorar o conhecimento na área, através de cursos, palestras, workshop e oficinas. Inevitável fazer novos amigos que juntos fazem o que gostam que é fotografar. Saiba mais
Apoio SECULT
Secretaria de Cultura de São Vicente







ILHA PORCHAT CLUBE



Filiado a CONFOTO - Confederação Brasileira de Fotografia.
© 2018 - Todos os direitos reservados ao Foto Clube São Vicente - O FRAME.

Textos e imagens não poderão ser reproduzidos sem prévia autorização.

Desenvolvimento, administração e hospedagem.